Vunerabilidade

Medo a vunerabilidade é algo que convivemos eternamente, somos educados desde cedo a ter uma vida segura sobre controle. Isso é algo que vem de nossos pais o segredo do sucesso é a estabilidade e segurança. Mas o que é seguranca? O que é estabilidade? Temos uma falsa sensação de controle e seguranca sobre nossas vidas, isso muitos chamam zona de conforto mas muitas vezes essa zona de conforto pode nos levar para um caminho bem mais inseguro. Ou muitas vezes nos acostumamos com ambiente perigoso e achamos tudo isso normal. Mas o termo segurança também é muito amplo pode ser um relacionamento, um emprego ou no seu dia-a-dia.

A alguns dias um amigo passou por um grave problema, foi assaltado e sofreu violência fisíca após essa experiência, ele passou a pensar como a vida é frágil, sim ele tem razão a vida é frágil, mas com todos os problemas do nosso país isso não é motivo para nos Brasileiros vivermos numa bolha. Muitas vezes só entendemos o quão somos vuneráveis quando somos impactados por algo ou quando estamos em um ambiente novo e desconhecido. Por exemplo, eu sou natural de uma pequena cidade no interior de Pernambuco com um número de homicídios muito alto para quantidade de habitantes, quando fui morar em São Paulo as pessoas ficavam espantadas, “Como você tem coragem? São Paulo é perigoso”, depois fui para Europa “Cuidado com o terrorismo!”, nesses três diferentes lugares nunca deixei de viver minha rotina. Mas não sabem meus amigos no interior de pernambuco que podem estar numa situação de risco muito maior que a minha. Mas também isso não signfica que eu estou salvo morando aqui na Europa, outras regiões podem ter risco como situações totalmente diferentes, fatores climáticos, naturais ou sociais.

Mas por que eu estou assustando vocês com esse assunto? Meu amigo sempre viveu nessa região, nasci no interior de pernambuco sempre convivi com esses problemas, mudei de cidade os riscos mudam. Se paramos para pensar vivemos situações de riscos todos os dias mas passam a ser algo comum. Mas nunca deixamos de viver depois de uma experiência negativa, mas isso serve tanto para experiências negativas e positivas, quando nos mexemos ou colocamos numa situação nova, ficamos assustados com o desconhecido. Por uma auto-defesa começamos a repensar tudo antes de enfrentar uma nova cidade, um novo emprego ou um novo relacionamento. O medo é perigo muito maior que essas situações, pois ele nos tira a chance de viver algo novo. Não podemos parar de viver ou de nos expor a novas possibilidades. Porque uma coisa é irreparável e ela é chamada de tempo. O tempo perdido você nunca vai conseguir reverter.

E a vunerabilidade? Resumindo é aquela decisão que você olha e pensa se der errado vai dar merd*. É um sentimento que tenho vivido constantemente a cada novo passo, a cada nova grande decisão. Sair da sua zona de conforto e enfrentar seus medos, estar vunerável a novas experiências um novo emprego, uma nova aventura como empreendedor ou uma nova vida isso é algo intenso. É deixar de lutar contra desconhecido e simplesmente aceitar é uma experiência única. Depois de quase dois anos morando fora do país. Todos os perrengues que passei, muitas vezes tive a sensação que iria enlouquecer, aquelas manhãs que eu tive vontade de jogar meu armário pela janela do meu quarto, ou daqueles dias que eu me perguntei o que eu estou fazendo aqui? Tudo é tão intenso que muitas vezes a gente não entende o que estamos vivendo ou conquistando. Mas hoje depois de parar e respirar e olhar para trás e ver todas as conquistas que se realizaram nesses dois anos, é algo que não estar no manual padrão “da vida de sucesso” mas tem um valor imensurável para mim. Coisas que nunca vou me arrempender e se der merd* algum dia vou ter orgulho de ter tentado.

Headers com video no WordPress

Sites com videos de apresentação ou como background é um recurso muito utilizado em vários sites atualmente, com a versão 4.7 do WordPress agora e possível adicionar um video no custom header(cabeçalho), essa opção já tinha a possibilidade de adicionar imagens ao header. A seguir vamos ver como habilitar esse recurso no seu tema:

Adicionando o suporte

Primeiramente precisamos fazer os passos normais de adicionar um custom header em nosso tema. precisamos ir no nosso function.php e adicionar a seguinte linda:

add_theme_support('custom-header', array(
'video' => true,
));

Isto irá habilitar o suporte de envio de videos, caso já esteja utilizando o recurso de custom header você precisa achar a linha que adiciona suporte ao custom header e adicionar o atributo ‘video’ => true,  na tela de customização a função irar mudar de “Header Image” para “Header Media como na imagem abaixo”:

Exibindo o header

Nas versões anteriores para exibir o header nos utilizávamos a função the_header_image_tag(), nesta nova versão do WordPress utilizamos the_custom_header_markup() esta função tem suporte para videos e imagens.

Este recurso vai adicionar o markup com o video e também carregar o script wp-custom-header.js, com isso o WordPress irá carregar um markup de um player. Caso queira customizar seu markup o WordPress da uma série de funções para adicionar video ao seu tema.

Customizando

  • has_header_video() – verifica se o site possui um video para ser exibido.
  • is_header_video_active() – verifica se a funcionalidade está disponível no tema.
  • get_header_video_url() – resgata o valor que contem a url do video.
  • the_header_video_url() – imprime o endereco da url do video.
  • get_custom_header_markup() – resgata o markup mas no imprime o conteudo.

Vamos realizar um exemplo utilizando the_header_video_url():

<?php if(has_header_video()): ?>
  <video class="bgvid" playsinline autoplay muted>
    <source src="<?php the_header_video_url() ?>" type="video/mp4">
  </video>
<?php endif; ?>

No exemplo acima verificamos se o tema possui algum video cadastrado com a função has_header_video(), em seguida adicionamos o markup da tag video com o source carregando o endereco do video com a função the_header_video_url().

Nesse exemplo só cadastramos e carregamos o video, desse ponto precisamos de um tratamento com css para exibir o video de forma customizada.

Quer saber mais sobre wp criação de temas tem um curso online no Imediabrasil.com.brhttps://www.imediabrasil.com.br/cursos/curso-wordpress-temas.cfm

First month again

Here I’m again, my second first month in Dublin. The first time as a student, eight months living in Dublin was a great experience. Broke some concepts and rebuilt me again, an exchange after 30 years was a great experience. One day I told to a friend “we don’t travel abroad, we travel internally in ourselves”. Get out of the comfort zone make us look for ourselves in a pure state, we are abroad without family, friends and masks that we were building during years trying to be someone that we want to be, but sometimes not exactly who we are.

Now it’s a new time, After two months waiting for my visa, I  started to work in a digital agency Inspiration Marketing. Now I already know the city, understand how the city works, how the seasons works here, we are like old friends. But now I have a different feeling, the relationship between Dublin and me have another meaning. I have the possibility to make real plans, with a job it’s possible to make plans for a long time.

Every day wake up at 6:45 AM, prepare my lunch, take the DART to my job, work the whole day and back top home. The classes are substituted for normal work days, but I still learn the routine with native speakers are totally different than students. My team is so patient they know “I’m not a native speaker.”

During the first days; I figured out that I didn’t see so much the city like when was a student, the time for entertainment it’s more restrict, but It’s not so bad I have more time to planning my trips and my routine in Ireland.

It’s just a begin, I’m happy about everything and waiting the whole new experiences that will come.

WordCamp Europa

No final de junho entre os dias 24 e 26 acontece o WordCamp Europa o principal WordCamp na região com mais de 2 mil participantes esse ano o evento acontece em Viena capital da Áustria. Esse será o meu segundo WordCamp na europa já que meu primeiro foi em Londres logo nos primeiros meses que cheguei aqui.

Foi legal ver outras comunidades e notar que a comunidade brasileira é bem forte e com um alto nível técnico comparada as palestras que eu vi. A única diferença que eu ví no WordCamp Londres é o números de empresas que investem no evento. Isso deixa mais fácil você montar uma super estrutura com: legendas em tempo real, quatro auditórios, buffet ultra organizado com opções vegana, happy hour. Mas esse detalhe me da mais orgulho porque conseguimos fazer WordCamps de qualidade em diferentes estados.

Mas vamos falar o que interessa, logo quando cheguei fiquei de olho nos WordCamps selecionei alguns que poderia participar, fiz um levantamento sobre custo, grade e país que queria muito visitar. Não sei se todo mundo sabe mas estou passando por uma fase de estudante/mochileiro então meus recursos são limitados. Não posso sair viajando toda a europa então a escolha tem que ser feita a dedo.

É claro que o principal evento não poderia ficar de fora dessa lista. Primeira barreira foi a inscrição, estamos falando do principal evento  da Europa, ou seja, as inscrições acabaram em segundos. Entrei em contato com a organização, contei toda a história que sempre participo e palestro em WordCamps, ajudei na organização do WordCamp São Paulo por 3 anos e gostaria muito participar. A resposta foi melhor que esperava fui convidado para participar como voluntário.

Agora é só aguardar e fazer as malas, já foram passadas as primeiras instruções precisamos chegar um dias antes para alinhar as informações nada diferente que fazemos no Brasil, a única diferença é a quantidade de participantes de diferentes países.

O WordCamp Europa serão 3 dias de muito conhecimento com palestras divididas nos seguintes temas comunidade, desenvolvimento, negócios, design e conteúdo. Nos dias 24 e 25 serão o dia dedicado a palestras no dia 26 é o contributor Day, um dia reservado para contribuição com a plataforma.

palestrantens-wordcamp-europa

Agenda Completa aqui: https://2016.europe.wordcamp.org/schedule/

Quer acompanhar o evento? Ainda restam vagas para assistir o LiveStreaming:https://2016.europe.wordcamp.org/tickets/

Vou postar coisas no meu twitter(@fellyph) e snapchat(fellyphc) no dia do evento só acompanhar lá.

Pensando em React

Um dos pontos importantes na hora de aprender React é trabalhar no modo que ele espera a “componentização” do conteúdo, esse processo inicia a partir da construção dos mocks.

Passo 1 – Iniciando como um mock

Imagine que você tem a seguinte tela:

mock-portfolio

Como criaríamos componentes com esse mock?

No caso acima temos uma coleção de portfólio, um componente job, com: foto, descrição, url, empresa, Design, e tecnologias. Vamos considerar que toda esta coleção está em um JSON:

[{"nome": "job 1", "url": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 1", "designer": "Artista 1", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
{"nome": "job 2", "url": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 2", "designer": "Artista 2", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
{"nome": "job 3", "url": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 3", "designer": "Artista 3", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
{"nome": "job 4", "url": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 4", "designer": "Artista 4", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
{"nome": "job 5", "url": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 5", "designer": "Artista 5", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
{"nome": "job 6", "url": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 6", "designer": "Artista 6", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]}]

E o nosso componente básico é o seguinte:

componente-mock

Seguindo essa estrutura inicialmente nosso componentes com suas hierarquias serão os seguintes:

  • PortifolioList
    • PortifolioItem

Por que falamos em hierarquias? No caso podemos ter componentes que carregam outros componentes, mas isso não impede de outros elementos carregarem o mesmo componente.

Passo 2 – Construindo uma versão estática com React

No post anterior, trabalhamos com “React.createClass” nesse tutorial vamos utilizar um cara chamado “React.Component” ele trabalha de uma forma diferente com ele criamos um classe que estendem de React.Component lembrando que para trabalhar com classes precisamos do babel para rodar o nosso ECMAScript 2015 e o React. Vamos começar pelo item mais básico o PortfolioItem, primeiramente considerando o mock que construímos o seguinte HTML:

<article class="job">
  <h4 class="title">Blog elo7</h4>
  <ul class="fetures">
    <li><a href="#" target="_blank" alt="site">linkdosite.com.br</a></li>
    <li>Empresa: Elo7</li>
    <li>Tecnologias: HTML5, CSS3, WordPress</li>
  </ul>
</article>

Agora vamos passar o nosso HTML para o um componente:

class PortfolioItem extends React.Component {
  render() {
    return (
      <article className="job">
        <h4 className="title">Blog elo7</h4>
        <ul className="fetures">
          <li><a href="#" target="_blank" alt="site">linkdosite.com.br</a></li>
          <li>Empresa: Elo7</li>
          <li>Tecnologias: HTML5, CSS3, WordPress</li>
        </ul>
      </article>
    )
  }
}

Apenas adicionei o PortfolioItem com HTML estático só para mostrar como funciona o React.Component, notem que trocamos a propriedade class por className isso é necessário para não termos conflitos com a palavra reservada class, mas as informações estão estáticas precisamos carregar as informações dinamicamente, a cada chamada do componente ele precisa ter uma informação diferente, então vamos lá:

class PortfolioItem extends React.Component {
  render() {
    return (
      <article class="job">
        <h4 class="title">{this.props.nome}}</h4>
        <ul class="fetures">
          <li><a href="#" target="_blank" alt="site">{this.props.site}</a></li>
          <li>Empresa: {this.props.empresa}</li>
          <li>Tecnologias: {this.props.tecnologias}</li>
        </ul>
      </article>
    )
  }
}

No código acima utilizamos o “{}” para especificar que é uma variável dinâmica this.props. acessa os parâmetros que foram passado para o componente, nesse caso chamamos o componente da seguinte forma:

<PortfolioItem nome={job.nome} site={job.site} empresa={job.empresa} tecnologias={job.tecnologias} />

Assim o atributo nome passado no componente acessamos dentro do componente {this.props.nome}, nosso exemplo completo com PortfolioItem e PortfolioList fica da seguinte forma:

class PortfolioItem extends React.Component {
  render() {
    return (
      <article class="job">
        <h4 class="title">{this.props.nome}}</h4>
        <ul class="fetures">
          <li><a href="#" target="_blank" alt="site">{this.props.site}</a></li>
          <li>Empresa: {this.props.empresa}</li>
          <li>Tecnologias: {this.props.tecnologias}</li>
        </ul>
      </article>
    )
  }
}

class PortfolioList extends React.Component {
  render() {
    const jobsList = [],
          data = [
          {"nome": "job 1", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 1", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
          {"nome": "job 2", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 2", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
          {"nome": "job 3", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 3", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
          {"nome": "job 4", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 4", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]}];

    data.forEach( function(job) {
      jobsList.push(<PortfolioItem nome={job.nome} site={job.site} empresa={job.empresa} tecnologias={job.tecnologias} />);
    });

    return (
      <div className="jobs">
        {jobsList}
      </div>
    );
  }
}

ReactDOM.render(
  <PortfolioList />, document.getElementById('portfolio')
);

No código acima adicionei o JSON como uma constante do nosso componente o ideal que essas dados venha de alguma API. Na sequência leio o JSON e crio um array com componentes PortfolioItem e no render eu apenas passo o array que montamos {jobsList}. Por fim chamamos o ReactDOM.render passando o PortfolioList como o elemento que iremos adicionar o componente.

O nosso HTML fica da seguinte forma:

<!DOCTYPE html>
<html>
  <head>
    <meta charset="UTF-8" />
    <title>Pensando em React</title>
  </head>
  <body>
    <h3>Portfolio</h3>
    <div id="portfolio"></div>
    <script src="https://fb.me/react-15.1.0.js"></script>
    <script src="https://fb.me/react-dom-15.1.0.js"></script>
    <script src="https://cdnjs.cloudflare.com/ajax/libs/babel-core/5.8.23/browser.min.js"></script>
    <script type="text/babel" src="src/js/components.js"></script>
  </body>
</html>

Podemos organizar melhor o nosso componente PortfolioList, podemos adicionar funções para organizar o seu comportamento, como no código abaixo:

class PortfolioList extends React.Component {
  _getJobs () {
    const var jobsList = [
      {"nome": "job 1", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 1", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
      {"nome": "job 2", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 2", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
      {"nome": "job 3", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 3", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]},
      {"nome": "job 4", "site": "http://fellyph.com.br/", "empresa": "Empresa 4", "tecnologias": ["HTML", "CSS", "JS"]}
    ];

    return jobsList.map((job) => {
      return (<PortfolioItem nome={job.nome} site={job.site} empresa={job.empresa} tecnologias={job.tecnologias} />);
    })
  }

  render() {
    const jobs = this._getJobs();
    return (
      <h3>Portfolio</h3>
      <div className="jobs">
        {jobs}
      </div>
    )
  }
}

Na atualização do componente adicionamos uma função “_getJobs” responsável para carregar os trabalhos, separamos a lógica de ler os dados da lógica de renderizar os dados. Também usei alguns recursos novos do ECMAScript2015.

Podemos evoluir esse post, mas pretendo ir evoluindo estes exemplos em outros posts, por isso adicionei um repositório no git: https://github.com/fellyph/react-tutorial