Flash Camp Rio 2010

O meu FlashCamp Rio começou na sexta dia 12 de novembro as 23:40, quando entrei no ônibus que ia direto para o Rio de Janeiro. Sinceramente eu não daqueles que consegue dormi em ônibus acordei varias vezes durante a madrugada, quando foi as 6:30 do sábado, o céu do Rio de janeiro estava meio cinzento lembrava São Paulo. A rodoviária lotada por ser um final de semana de feriadão. Aquele empurra-empurra uma galera como eu com a cara amaçada descia dos ônibus, com aquela cara de alívio. Logo quando terminei de tomar meu café  liguei direto para o Filipe Cunha(@_lipao_). E a conversa foi a seguinte:

Eu: “Lipão cheguei no Rio”

@_lipao_ : “Blz velho passo ai na rodoviária pra te pegar, te dou uma carona até a ESPM”

Eu: “Valeu velho, conseguisse dormi de ontem pra hoje?”

@_lipão_ : “Não dormi nada de ontem pra hoje estou virado.”

Logo vi que tinha alguém em um estado pior que eu, depois da rodoviária pegamos o Jay Moretti que também não estava com uma cara não muito boa. Chegamos na ESPM de 7:30, depois foi aquela correria básica. Passar as últimas informações para o pessoal da produção, imprimir as orientações que ficariam espalhadas pela ESPM.

As 08:00 começou a chegar os primeiros participantes, logo comecei a ver algumas figuras que você só conhecia pela net e por nome. Olhar pra um cara no elevador e pensar “esse cara é o Pedro Taranto”. 08:30 foi servido o coffee que por sinal estava muito bom.  No meio de figuras antigas do Flash e novatos o auditório começando a ser preenchido.

Por volta das 9 horas começou o FlashCamp Rio, mostraram alguns vídeos de uma galera que não pode comparecer mas deu um alô pra quem estava no evento o primeiro foi o Demian Borba , depois veio o Zeh Fernando e por fim o Colin Moock. A abertura já dava sinal como ia ser o evento. Estava muito ansioso por participar com um pequena contribuição na produção do evento.

Filipe Cunha e Jay Moretti deram suas palavras na abertura. O Primeiro palestrante foi o Igor Costa sempre com seu sotaque pesado nunca escondendo as suas raizes, sempre palestrando com um bom humor e sem meias palavras como um bom nordestino.
Falou sobre o Flex hero, suas novas features, o novo foco mobile da plataforma e novos componentes voltados para interfaces com suporte a gestos e toques. Continuou Falando sobre o novo mercado que a adobe visa, o de TV digital e por fim mostrou como desenvolver uma aplicação para mobile utilizando o no Flash Builder apelidado de “burrito”, exportando a aplicação direto no mobile.

Depois de terminar a palestra do Igor, começou a minha dor de cabeça em ter que dividir, entre o workshop de Joshua Davis e as palestras da galera da Influx e Lee Brimelow. Por ter acompanhado a gravação do Lee feita nas cidades anteriores do Flash Latin Tour eu fiquei mais tempo no workshop do Joshua e digo a vocês que realmente valeu a pena.

Quando entrei na sala me deparei com aquela figura, um quarentão todo tatuado, nos primeiro 5 minutos de workshop escutei uns 10 palavrões, um inglês bem jogado, pensei “que louco é esse ?” depois de mais alguns minutos ele prendeu totalmente a atenção minha e de toda a sal, apesar do seu jeito louco um cara super didático ele conseguia ensinar actionScript a uma criança de 5 anos.

A parti dai ele começou a desmontar seu framework o hype item-a-item eu já tinha olhado antes o hype e tinha classes que eu já conhecia e falava poxa legal, mas algo simples como o Gridlayout ele conseguia tirar algo fantástico e arrancar suspiros os participantes.  No meio do workshop dei um pulo na palestra do lee que falava sobre a crescente do mercado mobile e a força que o android ia começando a ganhar. Mostrou alguns dados sobre o mercado, infelizmente eu vou esperar pela a gravação para ver mais sobre a palestra do Lee.

A palestra do Lee foi a ultima da manhã, sai num almoço rápido com a galera. Quando volto do almoço o Joshua estava ainda na sala ele não tinha saído para almoçar, estava  escutando um punk nas alturas. A figura esperava seus alunos para a segunda parte do workshop. No meio do intervalo o Enrrique Duvos chegou com sua tablet samsung dando uma palhinha de como ia ser sua palestra. Jay brincou um pouco com alguns jogos feitos em flash para o dispositivo.

Na segunda parte o Joshua começou falando da Classe DephShuffle utilizada para randomizar os níveis dos elementos no palco, depois  disso a segunda parte começou a ter um foco maior na parte de imagens, mostrando alguns recursos que trabalham com a classe Bitmap para otimizar o desempenho de duas animações, mostrou como utilizar o framework para salvar uma imagem em alta. Por fim mostrou a classe de som, meio que seguindo os exemplos em seu site e falou sobre sua nova versão que está por vir do hype, com suporte a 3D e a gestos. E o framework okapi que trabalha com HTML5.

A última palestra do dia foi com Enrrique Duvos que falou sobre as novidades apresentadas no Adobe MAX 2010, focou sua palestra em HTML5 e publicações digitais. Mostrou as pesquisas que estão sendo feitas como o webkit as ferramentas que estão sendo desenvolvidas para dar uma olhada segue o link :

browserlab.adobe.com

Uma frase muito legal do Enrrique  durante a palestra foi : “Não vamos sentar e dizer que nós temos o melhor player do mercado, temos que sempre estar em constante melhoria”. Depois mostrou as features do Flash player e de longe as melhores é a aceleração de GPU e a nova api 3D mollhill explicou que a API não vai ser concorrente de papervision e nem alternativa3D, mas sim trabalhar junto para melhorar a experiência do usuário. Sem sombra de dúvida mostrou que o flash vai focar em games em sua próxima versão.

Depois frisou a preocupação de desenvolver aplicações multi-telas onde um game ou uma aplicação pode rodar bem sem comprometer a experiência do usuário, em um mobile, ou em um tablet e por fim em um PC “claro”.

E assim foi o primeiro dia do evento, que terminou com um mesa redonda com os participantes do primeiro dia. O segundo dia prometia onde só tinha brasuca fera.

10 – Motivos para ir ao FlashCamp Rio 2010

Dias 13 e 14 acontece o FlashCamp Rio listei 10 motivos para você não perder esse evento:

1 – Conferir de perto os melhores nomes do Flash/FLEX do Brasil e do Mundo, como, Lee Brimelow, Joshua Davis, Cassio Souza, Neto Leal, Enrique Duvós,  Igor Costa, Fabrício Manzi, Jay Moretti entre outros feras.

2 – Você vai ter a oportunidade de conhecer profissionais que trabalham na mesma área que você e trocar várias ideias.

3 – Você pode ganhar prêmios durante o evento, como, 5 ingressos p/ Flash Camp Brasil 2011 em Maceió, 6 cursos da RiaCycle, 5 FDT pure, 1 FDT Max, 2 Flash Builder, 1 Flash CS5 Pro e muito mais.

4 – O Evento acontece em umas das cidades mais lindas do Brasil no Rio da Janeiro.

5 – Um evento com esse nível de palestrantes por esse precinho, você não vai encontrar em lugar nenhum.

6 – Ser um dos 130 profissionais que terão informações quentinhas sobre o Adobe MAX 2010.

7 – Participar do workshop com o Joshua Davis.

8 – Ter a possibilidade de ver novos caminhos em sua carreira profissional.

9 – Ver o que vem por aí no novo Flash Player, que no Adobe MAX mostrou que vem destruindo.

10 – Você vai ter uma desculpa para passar o feriarão no Rio de Janeiro, relaxar e curtir um super evento.

E ai vai perder essa oportunidade ? O FlashCamp Rio acontece dias 13 e 14 de novembro.

Garanta sua vaga fazendo a inscrição no site: http://www.flashcamprio.com.br

Entrevista com Cássio Souza – Palestrante FlashCamp Rio

Nos dias 13 e 14 de Novembro no Rio de Janeiro, será realizado o Flash Camp Rio 2010. Uma das presenças confirmadas para o evento é o Cássio Souza Director de Tecnologia da Agência Gringo, no FlashCamp Rio ele irá apresentar o novo framework AS3 produzido pela Gringo.

Fazendo um aquecimento para o FlashCamp Rio, fiz algumas perguntas abordando vários temas, como mobile, perfil dos profissionais que a gringo busca e Framework Potato. Abaixo vocês conferem a entrevista :

1 – Um resumo de sua função hoje na Gringo ?

Cássio – Essa é uma pergunta difícil de responder, visto que até hoje ainda redescubro o meu papel todos os dias. Um dos meus papéis principais é cuidar da qualidade do trabalho e, dessa forma, contribuir para o retorno financeiro da empresa. Uma das formas de fazer isso é cuidar e cobrar da equipe técnica – cuidar para que tenham motivação, ambiente, ferramentas e infra-estrutura para trabalhar no máximo do seu potencial – e cobrar para que mantenham o aprendizado contínuo, evitem débitos técnicos apesar do prazo apertado ou circunstâncias adversas e sejam responsáveis pelo cronograma de produção.

2 – Você antes fazia parte da equipe de produção e hoje trabalha na parte de gerência como foi feita essa transição?

Cássio – Não foi uma transição fácil. Programar é muito mais do que uma profissão, é uma vocação e um vício. Nesse sentido, por um lado eu sentí muita falta de programar no dia-a-dia de trabalho. Do outro percebia que não estava fazendo um trabalho útil, me sentia dragado pra dentro do redemoinho de ocupações do dia-a-dia: Responder e-mails, participar de reuniões com clientes, fornecedores, GPs e atendimentos, etc. É como diz a frase: Estar ocupado é diferente de trabalhar, produzir.

Demorou um tempo pra me adaptar ao novo cargo, mas hoje consigo conciliar todas as demandas do dia-a-dia com pensamento estratégico e ações direcionadas a médio e longo prazo.

3 – Hoje qual o perfil de uma desenvolvedor AS que a gringo procura?

Cássio – A Gringo sempre foi conhecida pelos sites de alto impacto em Flash, mas como o mercado de web muda muito rapidamente e constantemente, o perfil profissional que buscamos é do programador que curte programar, que se interessa por mais de uma liguagem e por aprender coisas novas. Isso não significa em absoluto que deixamos de fazer sites em flash, mas também fazemos projetos em Javascript, Ruby, Python, Erlang, Objective-C etc…

4 – Com a evolução dos dispositivos móveis e o surgimento das tablets, como está o desenvolvimento mobile na Gringo?

Cássio – Acabamos de entregar nosso primeiro projeto pra iPad e já fizemos muitos outros projetos mobile em Flash, Java e Objective-C antes disso. Minha percepção pessoal é de que a computação está migrando do desktop para os tablets e celulares. O computador como o conhecemos hoje continuará existindo como ferramenta de trabalho, mas o usuário comum cada vez mais vai ter sua presença digital através de smartphones e tablets.

5 – Fale um pouco sobre o novo framework AS3 da Gringo?

Cássio – Existem outros frameworks AS3 no mercado, porém a maioria (como o Flex, por exemplo) voltados para a criação de sistemas e aplicações. Não encontramos nenhum que tivesse sido concebido para a criação de sites de impacto, onde praticamente não existem elementos visuais reaproveitáveis e tudo tem que ter motion. Na Gringo criamos muitos projetos desse tipo, e o Potato foi extraído desses projetos. Hoje o Potato é o melhor framework que conhecemos para este nicho de atuação.

6 – Qual o maior diferencial do framework potato?

Cássio – O Potato tem muitos conceitos inovadores que vamos apresentar em detalhes no Flash Camp Rio. Só pra dar um gostinho, vou falar de um item polêmico: O Potato não é MVC. MVC é um design pattern que ficou muito conhecido nos últimos anos, mas ele se aplica melhor para alguns tipos de projetos do que outros. As pessoas perceberam isso e atualmente tem surgido uma série de frameworks e bibliotecas especificamente concebidos para não usar MVC: Sinatra e Flask são alguns exemplos pra backend. Como o Potato foi criado para sites de alto impacto, ele é inteiramente baseado em Views hierarquicas com um sistema de messaging.

7 – O framework vai ser lançado no Flash Camp Rio, quando vamos poder baixar-lo ?

Cássio – Já lançamos alguns sites usando o Potato e ele não está guardado sob sete chaves não, mas estamos preparando exemplos e documentação para deixá-lo pronto para download na mesma data do Flash Camp Rio.


Twitter : @cassiozen
Agência: www.gringo.nu

Gostou da entrevista, quer saber mais sobre o framework Potato? Então não perca tempo faça sua inscrição para FlashCamp Rio e confira de perto os melhores profissionais do Mundo Flash/Flex de perto.

www.flashcamprio.com.br

FlashCamp Rio Eu Vou !!!

Nos dias 13 e 14 de novembro ocorre no Rio de Janeiro o Flash Camp Rio como eu já tinha divulgado em posts anteriores. O site do evento entrou no ar no início da semana e as inscrições já estão abertas, serão apenas 130 vagas para o evento se você ainda está em dúvida não pense duas vezes em ir.

Serão dois dias de evento, dez palestras e  quatro workshops e a programação do evento será a seguinte, no dia 13 :

Lee Brimelow – O evangelista da plataforma Flash vem com a palestra “My head hurts”, mostrará sua visão sobre caos instalado pela mídia sobre o tema HTML5 x Flash, vai responder perguntas dos participantes e irá abordar questões sobre o futuro do Flash.

Cássio Souza – Irá falar sobre Baked AS3 with Potatoe o novo framework open source desenvolvido pela equipe da agência Gringo. O potato tem o conceito de criar sites impactantes com experiência interativa. O framework nasceu voltado para as necessidades reais de uma agência.

Grant Garret e Jerry Chabolla – O pessoal da influx mostram porque seu serviço é a melhor solução para streaming de vídeo.

Igor Costa – Com 6 anos no mercado de Flex, ficou famoso por evangelizar a tecnologia, trás a Palestra Flash Hero que irá abordar o Flex 4.5, mostrando uma nova maneira de criar aplicações multi-plataformas.

Jay Moretti – Flash developer trabalha com ActionScript a 6 anos, vem com a palestra “Bem vindo a um mundo multi-telas”, Jay irá falar sobre AIR Mobile, P2P e Multiscreen. Uma introdução básica ao mundo multi-plataformas com poucas linhas de código e algumas técnicas de otimização.

Joshua Davis – Com o Workshop do Hype Framework Hands On, Designer Tecnólogo, de Nova York. Desde de 1995 usa tecnologia para criar suas ilustrações conhecidas internacionalmente.

Fabrício Manzi – Com o Workshop Game Development, Fabrício é consultor da Adobe System Brasil, palestrantre, instrutor  e autor de 10 livros sobre tecnologia Adobe. Nesse Workshop irá demonstrar técnicas de desenvolvimento de jogos utilizando o Flash.

No segundo dia do evento dia 14 contará com os seguintes palestrantes :

Claus Wahlers – Explica como obter mais do formato SWF com sua palestra HACKING SWF

Daniel Morena – Com a palestra Hello Word!

Neto Leal – Com a palestra “A arte de programar no mundo da publicidade”, fala sobre a vida dos programadores dentro das agências de publicidade, técnicas de desenvolvimento, principais ferramentas e dicas importantes para sobreviver nesse meio.

Enrique Duvós – Group Manager dos evangelistas da plataforma Flash na Europa, Oriente Médio e Ásia, tem o papel de gerenciar os evangelistas técnicos da Adobe. Com mais de 12 na industria de desenvolvimento de software. Vai apresentar a Palestra “New stuff from MAX”, mostrando todas as novidades da Adobe Max 2010.

Gabriel Peart – Workshop FDT 4, mostra na prática como o FDT pode otimizar o tempo de desenvolvimento de suas aplicações Flash.

Como podemos conferir na programação só tem fera!! Estou bastante ansioso para o evento, faltam menos de um mês para FlashCamp Rio, estou com minhas passagens compradas só aguardando a hora para fazer minhas malas e conferir esse evento.

O FlasCamp Rio custará R$ 70,00 pela qualidade dos palestrantes isso é realmente fantástico. O evento terá espaço para 130 participantes como já tinha falado, o local do evento será na ESPM do Rio.


View Larger Map

Até a sexta-feira já tinham 48 inscritos, então não perca tempo garanta sua vaga: http://www.flashcamprio.tangu.com.br/

Mais informações no site : http://www.flashcamprio.com.br/
ou no Twitter : @FlashCampRio

FlashCamp Rio dicas de passagem Recife/Rio de Janeiro

Uma das cidades que mais participam no grupo @asdevs é o pessoal de Recife. O terceiro post sobre passagens vou dar dicas para o pessoal de Recife. Lembrando que essa pesquisa foi feita dia 22 de outubro de 2010 menos de um mês do evento.

Para quem está pensando em ir para o FlashCamp Rio é bom correr são 130 vagas no total e até hoje as 3 horas da tarde já tinha 48 inscritos. O local do evento será na ESPM do Rio de Janeiro e os valores ficaram R$ 70,00 realmente muito barato para ver os melhores nomes de Flash nacionais e internacionais. Próximo post falarei mais sobre o evento.

Voltando as passagens fiz duas pesquisa uma para o aeroporto do Galeão e outra para o Santos Dumont, as passagens mais baratas estão para o Galeão. Saindo no sexta-feira dia 12 e voltando na segunda-feira dia 15 o resultado foi o seguinte :

O resultado mais barato foi pela TAM, R$ 412,00 o preço está muito bom quem vem de Recife bom aproveitar, uma ótima companhia aérea, você tem menos chance de ter algum estresse. A pesquisa para o aeroporto Santos Dumont foi a seguinte :

Para o Santos Dumont para quem sai de Recife sai bastante caro, R$ 300,00 de diferença. A Solução é ir para o Galeão. Não irei postar valores de ônibus que é uma viagem bastante pesada para quem sai de Recife.

O site do FlashCamp Rio já está no ar: http://www.flashcamprio.com.br

E siga no Twitter @flashcamprio