Entrevista com o iSeminarista Vicente Maciel Jr.

Vicente Maciel Jr. (@macieljr), paulista mas baiano de coração. Especialista em RIA, web-developer ha 14 anos, instrutor ha 16 anos (ha 9, certificado Macromedia/Adobe). Foi proprietário da Transnology, empresa de treinamento autorizado da Macromedia pioneira na região Norte/Nordeste, localizada em Salvador, que foi fechada em 2004.Em seguida foi consultor técnico da Macromedia. Viveu por um bom tempo dentro da Macromedia, empresa que futuramente seria comprada pela Adobe. Hoje trabalha no desenvolvimento de projetos RIA com Flex, AIR, Flash, Flash Media Server e ColdFusion.

vicente_iseminar

Agradecimentos especiais para Pedro Alexandria(@pedroalexandria) e André Fontenelle(@alfontenelle) que ajudaram na entrevista que vamos ver abaixo.

Destaque alguns projetos que você trabalhou recentemente?

Vicente Maciel Jr.: Atualmente, estou finalizando o projeto de sistema de leilão integrado (SIL), junto com o meu sócio – O Jefferson Petilo (@jpetilo) que também estará palestrando no evento – que pertence a uma empresa que pratica os leilões do TRT (região 5). Trata-se de um sistema complexo, com front-end em Flex, back-end ColdFusion e banco de dados Oracle. Costumamos citar que esse é o projeto no qual pudemos explorar as tecnologias que dominamos – e que estaremos falando a respeito no evento – ao nível mais alto que já pudemos aplicá-las.
Outro projeto muito interessante no qual eu e o Jefferson estamos envolvidos desde 2007, é o projeto por ele iniciado, no qual eu contribuo: o CFShark. Um conjunto de padrões aplicados que define uma estrutura de desenvolvimento de aplicações na arquitetura MVC (Model-View-Controller), que além de otimizar o trabalho do(s) desenvolvedor(es), também a padroniza com convenções do mercado internacional de desenvolvimento de aplicações web, valorizando ainda mais o projeto no qual é empregada. Adicionalmente, o CFShark é constituido de um gerador de código capaz de gerar até 80% de qualquer aplicação simplesmente a partir da modelagem do banco de dados que estará atrelado à mesma, gerando tanto o código ColdFusion (DTOs, DAOs, Controllers, Services) quanto o código Flex 3 abstraindo o Cairngorm.
Nosso próximo projeto, já com o codenome de CFBear, irá implementar o recurso de ORM do ColdFusion 9 (recém-lançado) e do Flex 4, provavelmente aumentando ainda mais o percentual de capacidade de geração de código.

O que você tirou como experiência em trabalhar em uma empresa como a Macromedia ?

Vicente Maciel Jr.: Sem dúvida, dentre muitos dos benefícios de ter trabalhado em uma multinacional como a Macromedia, o maior deles foi a experiência de aplicação das suas tecnologias nos mais diversificados e complexos ambientes de produção possíveis, desenvolvendo projetos pilotos, solucionando problemas técnicos e evangelizando o correto uso dessas tecnologias. Para isso, tinha acesso direto e permanente com equipe de engenharia responsáveis por todos os produtos disponibilizados na época e isso me permitiu ter acesso à um número de informações que me são úteis até hoje. Pude acompanhar de perto a evolução do Actionscript, do Flex, Flash, AIR, ColdFusion e Flash Media Server, desde a concepção de recursos que hoje os tornaram revolucionários. Me considero tão afortunado por esta experiência, que hoje procuro compartilhar essa informação e know-how, o máximo que posso, através da participação em eventos como o iSeminar. É minha forma de agradecer tamanha sorte que tive por esta oportunidade que até hoje me garante bons frutos. Por isso me empenho em comunidades (hoje não tanto quanto gostaria, pois já fui muito mais ativo), e no nosso grupo de usuários, o RIA-BA (http://bit.ly/ria-ba).

Com sua experiência no mercado web. Fazendo uma análise nos últimos 10 anos é possível prever o que vem por ai ?

Vicente Maciel Jr.: Sempre que tendo responder essa pergunta, descubro que eu não estou apto para arriscar um palpite. A evolução é tão grande e tão rápida que o que às vezes pensamos que seria o próximo passo, já é a realidade de alguém em algum lugar. Assim, compreendi que essa tarefa requer tanto estudo que hoje só seria possivel para um especialista ou alguém que realmente tenha tempo para abstrair bem a realidade, analisar tudo o que está disponível tecnologicamente, considerar o que está sendo desenvolvido e ainda considerar as necessidades que esse conjunto de informações acaba gerando para o futuro. Esse definitivamente não sou eu hoje. Quem sabe em um futuro.
O que eu posso responder é quanto ao futuro do cenário que eu vivo hoje: o desenvolvimento de soluções RIA com as tecnologias fornecidas pela Adobe. É excitante ver que a Adobe está alcançando, em pouco tempo (relativamente) o que empresas como Microsoft e Sun perseguem ha anos: Uma plataforma cada vez mais unificada e concisa para desenvolvimento de soluções Web/Desktop/Mobile, mantendo um aspecto muito interessante tomado como primordial para as origens dessas plataformas, que é a facilidade e simplicidade de desenvolvimento. Premissas de empresas como a Allaire, onde originou-se o ColdFusion, e a Macromedia, onde originou-se o FlashPlatform. O FlashPlatform da Adobe, como demonstrado no MAX2009 – que este ano foi sensacional, conseguindo superar o sucesso dos anos anteriores – é e será cada vez mais a tecnologia base de desenvolvimento, não apenas na área de programação, mas também no que se refere à conteúdo gerado pelos softwares de edição de imagens, vetores e vídeos.
O próximo passo do FlashPlatform, que através do Actionscript já é totalmente consistente na Web (conteúdo visual/interação), no Desktop e nos dispositivos móveis, será tornar-se uma linguagem também server-side, unificando então, toda a sua linha de produtos.
E isso é apenas uma das coisas que a gente pode esperar quanto ao FlashPlatform, dentre muitas outras que ainda não podem ser discutidas abertamente.

No região nordeste, as agências de web pagam em média R$1.500,00 a um programador. A pespectiva de aumento salarial para um valor realmente significativo são mínimas. Raras exceções conseguem se destacar e se promover. Para você qual o caminho para evitar isso e qual conselho você daria aos profissionais que querem seguir esta profissão com sucesso pessoal e financeiro?

Vicente Maciel Jr.: Se eu tivesse que falar por mim, ou seja, tomar como exemplo que atitude eu tomo/tomei para que eu não fosse atindigo por esse vício do mercado em não valorizar os profissionais, eu apontaria o seguinte:

a). A especialização e o maior domínio possível que um determinado nicho de mercado foi primordial para que eu pudesse de certa maneira me proteger de enfrentar a desvalorização do profissional de TI no Nordeste. Um erro que vejo muitos iniciantes na área cometerem, é querer “ser especialista” em tudo, quando isso é praticamente impossível, além de imediatamente levantar a suspeita de que na verdade se está “atirando para todos os lados”. Eu por exemplo, escolhi o ColdFusion como tecnologia para programação server-side e o Actionscript para desenvolvimento de client-side (interfaces). Trabalho com essas tecnologias há 14 anos e hoje sou chamado para atender a uma faixa de mercado que paga um pouco melhor, sendo que a diferença do que eu consigo negociar para um mesmo trabalho aqui no Nordeste, comparado ao mesmo trabalho na região Sul/Sudeste, ainda é muito grande.

b). Atualização permanente quanto ao mercado que escolheu atender, conhecendo bem as tendências, estando antenado para as novidades que não conseguimos prever. Muitos acham que já fazem isso simplesmente “dando uma lida” em algum artigo sobre o assunto. Daí surgem os especialistas teóricos que não apenas cometem equívocos na sua própria decisão, como podem levar clientes e parceiros a cometerem equívocos semelhantes. Isso é muito comum, infelizmente. Ponha a mão na massa. Participe de grupos de discussão à respeito. Conheça bem os ponts positivos e negativos de tudo o que surge por ai. Eu hoje, todo o santo dia, não deixo de dedicar pelo menos 2h por dia para estudos deste tipo.

c). Não isolar-se. Esteja sempre conectado com profissionais da sua área e comunique-se com eles. Participe de grupos de usuários dedicados aos assuntos com os quais você está diretamente envolvido. Participe de eventos. Dê sua opinião e desperte as críticas e elogios provenientes dela. Saiba construir a sua própria opinião através disto, e esteja preparado para defender seu ponto de vista, bem como revê-lo.

d). Distribua o máximo possível o seu conhecimento. Você só se torna referência se as pessoas souberem que você tem a resposta, ou é capaz de buscá-la. Quem quer vender, expõe o produto. Se você é o seu produto, então exponha-se.

Fale um pouco de sua palestra no iseminar ?

Vicente Maciel Jr.: De todos os momentos que já vivi como evangelista de produtos Macromedia/Adobe, este é sem dúvida o que mais tem me deixado empolgado pois finalmente, nós que já somos desenvolvedores na área há anos, estamos vendo realizado, cada vez mais os desejos e expectativas que tinhamos para esses produtos há anos atrás.

Neste evento, quero ter a oportunidade de transmitir aos presentes a mensagem que a Adobe vem disseminando junto com as novidades anunciadas em seus produtos: INSPIRAÇÃO. Esse foi o tema do MAX (evento internacional mais importante da Adobe) e é o foco principal das novidades nos produtos.

Vou começar mostrando o que talvez seja a mais impressionante ferramenta para o planejamento e desenvolvimento de RIAs (Rich Internet Applications) da atualidade: O Flash Catalyst. Esta ferramenta coloca definitivamente o designer e suas diversas especializações como foco no sucesso do desenvolvimento de uma solução RIA de sucesso.

Com a concepção de um RIA finalizada no Flash Catalyst, vamos exportar o projeto para o Flash Builder – nova versao da IDE de desenvolvimento Flex anteriormente chamada de Flex Builder – para mostrar suas principais inovações. Neste momento, vamos entender fatores como o porque da mudança de nome do produto, quais foram as principais modificações realizadas na tecnologia Flex, analisando justamente, quais foram as principais inspirações da própria Adobe para implementar as evoluções e recursos fantásticos que estarão sendo apresentados.

Ao final desta minha apresentação, teremos como resultado uma aplicação RIA, integrada com Banco de Dados através do ColdFusion, sobre o qual falarei brevemente pois será o tema da apresentação do meu amigo e sócio Jefferson Petilo logo em seguida. De certa maneira, eu e ele estaremos fazendo nossas apresentações de forma integrada.

Iremos trabalhar com uma mistura de uso dos Slides e prática dos softwares para ao mesmo tempo sermos o mais informativos possível e inspiradores, para que os presentes no evento sintam-se motivados a experimentarem, evoluírem e/ou aperfeiçoarem seus conhecimentos nas tecnologias apresentadas.

Irei encerrar falando brevemente sobre as novidades do FlashPlatform no MAX 2009, e anunciando a realização de um workshop sobre desenvolvimento RIA com Flex e ColdFusion, em data à ser anunciada, em Recife pela iMedia.

Espero conhecer bastante gente lá e reencontrar amigos de oportunidades anteriores. Estou ansioso para este evento e farei o melhor para que os participantes saiam de lá inspirados e motivados.

Obrigado pela oportunidade da entrevista, e um agradecimento especial ao André Fontenelle da iMedia pelo convite!

Lembrando quem ainda não confirmou a presença, corra que restam as últimas vagas para o iSeminar.

http://www.iseminar.com.br

sigam : @iseminar

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.