Onde estão os desenvolvedores Flash ?

Conversando várias vezes com meus amigos flasheiros, sempre vinha aquela pergunta: “Você tem alguém para me indicar ?“.

Essa é uma pergunta difícil as pessoas que eu conheço sempre estão empregadas(e gostam do trampo) ou estão muito verdes. Sempre aparece alguém procurando por um desenvolvedor Flash nas listas, as vagas estão sempre ai, as maiores agências de web de recife sempre precisam de um profissional nessa área, mas “cadê a galera ?”.

Com essa pergunta decidi correr para fazer este post, sai atrás do pessoal via gtalk e e-mail, donos de empresas e centro de formações, para saber o que está acontecendo com o mercado.

Primeiro papo que eu tive foi com André Fontenelle, professor e diretor do iMedia centro de treinamento da Adobe de Recife:

André pra onde a galera que faz curso de Flash vai ?

André : Mais da metade das pessoas que fazem o curso de ActionScript, são designers de formação. Desta forma, até que sejam programadores pleno, há um tempo de maturação, estudo e treino. Os que persistem no estudo, conseguem bons empregos.

Outro grupo, vem fazer o curso pois tem trabalhos a realizar, logo estão comprometidos. Apenas uma pequena parte dos alunos, apresentam experiência em programação prévia e estão disponíveis, estes estão aptos a pegar um trabalho mais complexo de imediato, são bem disputados pelas agências.

Também há o outro lado, as agências quando recrutam, solicitam alguém com experiência. É muito raro encontrar vagas para profissionais iniciantes. Há muitos alunos com grande potencial a espera de uma oportunidade.

Também conversei com o lado de quem emprega.

O primeiro a contribuir foi Luciano Ayres(@lucianoayres) da I2 Tecnologia sócio da i2 tecnologia, empresa especializada em desenvolvimento de aplicações e conteúdo interativo para telefones celulares.

Vocês tem dificuldade de encontrar programadores Flash?

Luciano Ayres – Depende do propósito, se for freelancer é muito fácil.
Se for para contratar, também depende do nível de conhecimento do profissional se for um cara mais experiente e tarimbado é bem dificil contratar, ou porque não está disponivel, ou porque o salário é muito alto.
Se for um cara que está começando, ou com um pouco de experiência aí sim fica mais fácil.

A segunda contribuição foi do designer Eduardo Aguiar(@duii) sócio do @studioaurora.

A mesma pergunta sobre encontrar um programador Flash.

Depende, O seu problema é equivalente ao tamanho da sua rede de contatos. Se for boa, você poderá sempre resolver do jeito certo e com a pessoa certa. Se for pequena, você terá que correr atrás de indicações de amigos, ou de listas de discussão.

Para trabalhar in loco, têm sido mais difícil de encontrar profissionais, já que a maioria com diferencial se encontra bem empregada. De acordo com o projeto, há a necessidade ou não de achar alguém que resolva seu problema. Esta falta talvez seja dada também pela falta de cursos especializados em Flash oferecidos com qualidade (creio que apenas o iMedia oferece com maestria).

Recife tem cursos de graduação e pós que formam profissionais de T.I ou front-end, mas não há nenhum que forme um desenvolvedor “completo”, com uma força voltada para a web. Ao meu ver, é necessário algo que aborde não só o desenvolvimento, mas que forme a cultura de um profissional que entenda e participe também da criação do conceito do projeto ao produto final. Tornar o profissional de Flash além de um “montador” de sites pode fazer a profissão mais instigante e conquistar cada vez mais interessados à entrar na área.

Através desses depoimentos podemos ver alguns problemas:

  • Profissionais experientes não faltam, apenas são “caros” pois estão bem empregados.
  • Muitas empresas buscam profissionais com alguma experiência, é difícil ver uma empresa procurando alguém “verde”. Mas quem está começando tem que mostrar algo, por exemplo, site pessoal ou experimentos.
  • Outro problema é falta de interesse dos programadores que estão começando, boa parte tem preconceito sobre a linguagem simplesmente pela falta de informação, nas faculdades de computação o Flash muitas vezes é visto com o uma ferramenta para designers. E eles estão errados porque é possível ter uma programação de alto nível trabalhando com Flash.  Desenvolver aplicações robustas utilizando conceitos de POO e design partners, tudo isso é possível em actionScript.

Obs. Falei muito na formação acadêmica na área de TI, isso não quer dizer que não tenham bons programadores sem formação na área de TI, conheço vários programadores sem curso superior na área que são ótimos programadores, isso vai da vontade de aprender de cada um.

Você topa o desafio de entrar no mundo do actionScript/Flash, eu indico os cursos do iMedia Recife, onde o aluno tem uma ótima estrutura física e curso online se você gosta de estudar em casa, por um custo menor. O aluno vai tem acesso à todo o material do curso presencial em vídeo. Acredito que hoje na região não exista um curso com uma boa carga horária que o iMedia oferece. Falta de material na web também não falta, blogs, sites tutoriais, vídeos se você não quer gastar nada pra isso existe o velho e bom google. Fica aí a dica.

7 respostas para “Onde estão os desenvolvedores Flash ?”

  1. Feliz ou infelizmente, não são muitos os bons programadores AS. Na minha opinião por dois motivos: Não é qualquer designer que está realmente disposto a aprender programação e não é qualquer programador que consegue se dar bem no Flash (fora é claro os que nem se interessam).

    Não creio que nenhum curso, por mais prepotente que seja, forma um bom profissional. Isso pode soar estranho vindo de mim, já que também sou instrutor na formação Flash/actionscript do Instituto Infnet no Rio de Janeiro (além de ser desenvolvedor AS na Globo.com).

    Noventa e cinco por cento dos meus alunos e ex-alunos “são” designers. A maioria dos bons desenvolvedores AS que conheço vieram de design ou publicidade (entre outros que nem tem a ver com a área).

    O Infnet tem 4 horas a mais que o iMedia nas formações actionscript e mesmo assim é muito pouco para fazer com que esses designers (ou aspirantes à profissionais web que nem tem idéia de que área seguir) saiam do seu mundo totalmente visual e entrem num mundo abstrato como é a programação.

    Difícil a tarefa de aprender lógica de programação, orientação à objetos e decorar sintaxe de liguagem (até então eles pensam que tem que ter tudo na ponta da língua) em 24h, 36h, 48h… Seja qual for a carga horária, nenhum curso, seja de extensão, graduação ou até mesmo particular, irá formar um puta profissional.

    Acho que a tarefa de um centro de treinamento (e que alguns cumprem muito bem) é dar uma boa base para que o aluno saia dali sabendo como continuar os estudos ou como entrar numa empresa. Muitos desses designers desistem de tentar se tornar um programador e voltam para o Photoshop, seu porto seguro.

    Não sei em outros estados, mas ao contrário do que você disse, tem muita vaga aqui para quem está começando. No Rio de Janeiro tem muita empresa que abre ali na esquina, e por ser pequena, não pode pagar muito. Tem consciência de que vai pegar um cara verde ainda.

    Da forma como vejo as coisas, essa empresa é muito importante na formação do profissional (pelo menos elas o foram na minha). Justamente por não ter muito dinheiro, ela quer um camarada que faça o Flash, layout, HTML (usando standards), banco de dados, sirva cafezinho e varra o chão. Então esse cara acaba tendo vivência em várias área e pegando experiência por osmose.

    No caso dos que já nascem programadores, não são todos que se dão tão bem com o Flash. Muitas vezes não é nem por preconceito, mas porque o Flash é um programa que usa muito os dois lados do cérebro. O cara tem que ter um certo conhecimento de design ou no mínimo um censo crítico das coisas para poder se dar bem, isso claro, dependendo de onde ele vá trabalhar .

    Conheço ótimos desenvolvedores AS que não sabem nem criar um botão, ou fazer um Tween e cá entre nós… querer fazer todos os projetos utilizando somente código nem sempre é a melhor solução.

    Um cara que é muito bom de programação mas não sabe nada de design pode ter dificuldades ao trabalhar por exemplo, em uma agência de publicidade, e ter que criar projetos onde aquele companheiro de equipe, que é designer mas sabe se virar nos 30 com AS, possa pegar o projeto e fazer no mínimo uma atualização.

    Tem ainda o fato de que geralmente, um desenvolvedor AS geralmente ganha bem menos do que um desenvolvedor Java (por exemplo), então porque esse cara vai querer trabalhar especificamente com algo que vai lhe render menos por mês?

    O desenvolvolvedor AS é um cara que tá no mundo meio sem pai nem mãe. Na verdade é difícil se tornar um desenvolvedor AS justamente porque não tem uma linha que defina quais tecnologias e conceitos sobre internet aprender (além da programação é claro).

    Os poucos que passam dessa crise existencial estão por ai, como você disse… bem empregados. Eles são muito fáceis de serem encontrados já que na grande maioria das vezes, as empresas onde trabalham são figurinhas carimbadas. Mas também como você já disse, são caros e não poderia ser diferente.

    Se as empresas querem elevar o nível dos seus projetos Flash/actionscript e teconologias relacionadas, cobrem mais caro do cliente e paguem mais não só para o desenvolvedor AS como para o resto da equipe, afinal, ele não trabalha sozinho (ou pelo menos não deveria).

  2. E ae Felipe, ótimo comentário valeu pela contribuição!!!

    Minha visão é mais sobre o mercado de recife falhei em não falar isso.

    Vamos lá formação 80 horas, 100 horas, 120… isso não diz muita coisa se vai formar um bom profissional depende da força de vontade da pessoa querer aprender também, indiquei o curso do iMedia porque eu fiz curso lá quando o flash ainda era macromedia(kkkkk) conheço os professores, material e tem um diferencial que você achar que não aprendeu suficiente, você pode repetir o curso durante um período (se eu não me engano é de um ano). Tirando o iMedia os outros cursos em geral aqui em Recife de Flash são de 40 horas.

    Um bom programador não se faz 40 horas ou 100 tem um tempo necessário de prática, errar, concertar, quebrar a cabeça…

    Realmente desenvolvedor Flash recebe menos que um desenvolvedor Java em média, isso é errado porque o nível de complexidade na programação em Flash também pode ser alto, existem N fatores que definem essa disparidade em nível de salário. Também é difícil pra muita gente que queira ou não você não pode ter a cabeça voltada pra 100% programação é necessário ter um per no design.

    Sobre as vagas muitas vezes é por falha das empresas, deixa pra contratar quando está com a corda no pescoço ai precisa de alguém com experiência pra salvar o projeto. Não digo que isso se aplica a todas as empresas mas muitas da que passei funcionavam assim.

    Hoje em empresas grandes já estão especializando os profissionais de Flash tipo tem o cara que faz integração com banco, tem o cara que monta estrutural de um site, tem o motion design, tem o cara de 3D e por ai vai… Mas empresa pequena ainda tem o faz tudo não tem pra onde correr.

  3. Concordo plenamente quando se diz que “um curso não fará um bom profissional AS”, eu, como o Fellyph, fiz na iMedia o curso de Flash com AS, até aquele momento eu não fazia idéia do que era programar com AS.

    Aprendi muito, fuçei bastante, fiz alguns experimentos baseados no que via em sala mais o que aconteceu é que pela correria do dia-a-dia e a falta de oportunidade em aplicar todo o conhecimento ainda fresquinho a coisa meio que se distancia…

    Hoje em dia, tô procurando algo na área e é difícil pois não tem muita coisa tão interessante no portfólio usando AS, tudo o que tenho foram coisas de experimentos pessoais, mais nada profissional como é esperado pelas agências hoje em dia.

    Acho que as agências deviam contratar mais estagiários na área, isso ajuda bastante a amadurecer profissionais.
    Hoje em dia tem coisas que um cara verde em AS como eu, sabe como pode ser feita, mais sem ver e entender alguns exemplos como ja fizeram aquela coisa fica difícil de criar um caminho até chegar ao objetivo.

  4. Fabricio,

    Grande agências como Gringo por exemplo dão um grande valor à projeto autorais. Se você não teve a oportunidade de fazer bons projetos em agências, crie o seu.

    Invente um projeto onde você possa demostrar o que você sabe. Em entrevista vai contar o que você já fez, independente se é um projeto fantasma (que não foi ao ar) ou se fez por alguma agência.

    Eu costumo criar pequenas coisas quando estou estudando. Fica a dica.

  5. Fellyph,

    Acho que essa linha que tanto o iMedia quanto o Infnet tem é bacana. Lá o aluno também pode refazer o curso quando achou que da primeira vez o rendimento não foi 100%.

    Como disse, curso pode ser importante para dar uma base quando não se tem idéia do que é aquilo com que se quer brincar (no caso actionscript), mas a partir dai, é estudar, estudar e estudar.

    Sempre digo nos cursos que estudar não tão difícil como parece, que eles podem encarar até como uma competição.

    Sai uma nova versão da linguagem… corra p/ estudar e sair na frente dos demais. O prêmio é que você estará dominando certa tecnologia antes de muita gente e com isso, apto à desenvolver coisas que a maioria não consegue ainda.

    Um coisa que acho importante demais é ficar ligado nas pessoas que fazem acontecer nessa área. Ver o que pensam, sobre o que falam, etc… networking é tudo, especialmente nessa área.

    Fazendo isso a pessoa acaba tendo mais direção sobre o que fazer.

  6. Eu iniciei em programação fazendo um cursinho de web da microlins, eu nem sabia do que se tratava e eu ainda de quebra nem tinha computador, só treinava nas aulas, uns ficavam no msn e eu só fuçando no flash, ganhei um computador de alguns amigos que fizeram uma vaquinha e logo consegui um estágio na universidade do estremo sul catarinense (UNISUL), lá programava em AS a fazia os layout´s em fireworks, o cursinho foi só um norte do que se tratava, o conhecimento veio depois de anos de estudos e muita leitura. se passaram 2 anos de estágio.. hoje crio aplicativos com banco de dados que rodam tanto no navegador quanto no desktop… o que posso dizer; amo o flash, não ganho o que eu gostaria de ganhar, mais amo meu trabalho.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.