Você é um desenvolvedor mobile! Por que não?

Captura de Tela 2013-01-30 às 14.01.46

Muitas vezes converso com as pessoas sobre as oportunidades do mercado mobile. E na maioria das vezes a resposta é: “mas eu não sei programar para mobile”. Mas, será que esses programadores nunca programaram em C, HTML5, Java, JavaScript ou ActionScript? Acredito que a maioria dos meus amigos já programou em alguma dessas linguagens que citei anteriormente. E, por que eles não podem ser desenvolvedores da área móvel? Na maioria dos casos porque nunca tentaram. Mas, por que desenvolver para a plataforma móvel? Números apontam o crescimento do mercado mobile além da valorização dos profissionais da área. No gráfico abaixo observa-se os número de acessos mobile vs. desktop de janeiro de 2009 à janeiro de 2013.


Fonte http://gs.statcounter.com

Percentualmente, o acesso mobile passou de 0.67% em janeiro de 2009 para 14.15% em janeiro de 2013, isso em 3 anos, e a expectativa é aumentar cada vez mais. Isto é uma análise de mobile x PC. Falando em números de devices, estudos apontam que os smartphones chegaram a casa dos bilhões e a tendência é triplicar até 2018 (fonte).

Agora, eu pergunto: Você vai perder essa oportunidade?

Mas, como começar? Primeiro, você precisa escolher uma plataforma (e a minha escolha não preciso responder). Um dos motivos por escolher esta plataforma é o suporte aos desenvolvedores e isso ajuda bastante para quem está começando. A BlackBerry está investindo pesado na comunidade, podemos acompanhar muitas notícias no nosso blog e nos veículos de comunicação.

z10

Depois de escolher a plataforma, você precisa fazer algo. Isso parece simples, mas quebrar a barreira entre querer e o fazer é algo extremamente difícil para algumas pessoas (fato observado comumente entre os devs). Você sair da zona de conforto, e tentar criar algo novo que está fora de sua rotina, é um desafio. Se você está entrando no mercado de tecnologia agora, eu dou uma dica: “Mercado mobile!”.

Mas, vamos retornar à minha realidade (e de muitos amigos). Conhecimento técnico, como eu citei acima, a maioria tem e quem programa nas linguagens citadas anteriormente tem 70% do caminho percorrido. Atualmente, estou no estágio de tentar fazer algo. Essa experiência eu vou compartilhar com vocês. E para vencer este desafio enumerei os processos a seguir:

1. Queria desenvolver algo mobile.

Sempre acreditei no potencial do mercado móvel mas nunca desenvolvi nada. Com a oportunidade junto a comunidade de desenvolvedores da BlackBerry decidi: “A hora é agora”.

2. Procurei um problema.

Procurar um problema é uma dica valiosa caso não tenha uma idéia de uma app no inicio dos seus estudos. Quando achar um problema, você vai tentar entendê-lo e buscar uma solução. Analisando o problema você vai começar a levantar os requisitos que o projeto precisa ter, ou seja, você vai buscar uma solução, quando achar uma solução viável você está pensando em um produto, isto é, seu aplicativo. Uma observação sobre esse ponto é: resolver um problema muito trivial vai dar a impressão que você aprendeu alguma coisa e na realidade você não aprendeu. Ou, procurar um problema muito complexo pode levar você a desistir logo de cara.

O ideal no momento que achar uma solução para um problema é pensar em sua viabilidade, para não entrar em uma solução muito complexa. Divida o projeto em fases, defina o que você precisa entregar em cada fase e evolua essa solução com o tempo. Outro detalhe importante: Você tem um público alvo? Se sim, então converse com ele tente identificar outros requisitos e oportunidades com o seu produto

3. Pesquisei qual a melhor ferramenta para a solução.

A pergunta: “Qual a melhor ferramenta para a solução?”, alguns podem discordar da minha resposta. Mas, a melhor solução é aquela onde você consegue desenvolver algo concreto em um intervalo de tempo sem desanimar. Ou seja, pensando no meu dia-a-dia: Eu não sobrevivo de desenvolvimento mobile (ainda) estou aprendendo sobre a plataforma e tenho um tempo limitado em meu dia para pesquisar. Passo a maior parte do meu dia desenvolvendo para web (sou frontend).

Quando conheci a plataforma do BlackBerry 10, descobri que é possível desenvolver aplicações com Air (Flash/AS3), HTML5, Cascades, Nativo e muitos outros Frameworks. Cascades é um excelente framework e tive a chance de participar de dois treinamentos, mas durante o meu dia não tenho contato nenhum com C ou Qt. Iniciei os estudos, mas eu tinha um prazo e precisava desenvolver minha solução em um mês (queria enviar meu aplicativo no Port-A-Thon) então precisava utilizar algo que já tinha conhecimento. ActionScript trabalhei durante um bom tempo e tenho um bom background com a linguagem. Mas HTML5 hoje faz parte do meu dia-a-dia, estudar HTML5 vai agregar valor no que eu trabalho hoje e no que pretendo trabalhar em um futuro próximo. E porque não HTML5 (WebWorks)? Tem uma boa documentação na web, tem uma comunidade ativa e, é opensource.

“Então: HTML5, eu escolho você!”.

4. Aprendendo os 30%.

Como falei acima se você já trabalha com alguma linguagem que a BlackBerry dá suporte, você já percorreu 70% do caminho os outros 30% é preparar um ambiente de desenvolvimento, instalar os arquivos necessários e pesquisar as particularidades da platarforma. Depois que preparar o ambiente você pode conferir esse screencast feito pelo Gustavo Costa em nosso blog. Ou, a página internacional dos desenvolvedores da BlackBerry, onde há toda a informação necessária para o uso e compreensão das mais diversas tecnologias.

Além da parte de código, outro ponto importante é que você precisa fazer um esboço do aplicativo qual o padrão da plataforma referente a design. Informações sobre, qual a resolução de tela, tamanhos de ícones, tamanho de botões, resumindo qual o padrão gráfico da plataforma. E isso tudo você confere aqui.

Antes de entrar na parte de código é bom dar uma lida nessa parte ela vai ajudar a entender a arquitetura da plataforma e como alguns itens se organizam. Depois de entender os padrões referentes a layout você pode criar esboços em um papel, simulando as interações de seu aplicativo. No meu caso eu estou usando WebWorks, não vou ter os elementos do cascades (padrão da plataforma) de cara. Contudo, tem um projeto em JavaScript que simula alguns elementos do cascades o nome dele é bbUI.js os arquivos deles são centralizados em um git que você pode conferir aqui e temos também a possibilidade de trabalho com o tema do BlackBerry 10 a partir do JQuery Mobile.

5. Mão na massa.

Depois de todas essas fases agora é a hora de “fazer a coisa acontecer”. Meu aplicativo foi simples ele carregava algumas informações de um servidor e o usuário avaliava esses dados. Para administrar as informações eu utilizei o WordPress. Acabei fazendo uma apresentação sobre a experiência e os slides você confere abaixo:

Algumas dicas no momento em que você está desenvolvendo. Se você esta utilizando WebWorks, utilize também um simulador para realizar os testes não fique fazendo apenas testes no browser. Se está fazendo acesso a dados externos deve ter atenção com o crossdomain no aplicativo e no JS.

6. Enviando seu aplicativo.

Para enviar seu aplicativo, você necessita ter uma conta de vendedor na BlackBerry World o processo de como criar uma conta é bastante simples, a parte mais difícil é vincular a uma conta paypal e enviar uma cópia digital de um documento com foto. Com a conta de vendedor ativada, você agora pode enviar seu aplicativo. Você vai precisar de um .bar assinado, adicionar a descrição e imagens do seu aplicativo(nesse ponto será necessário algumas imagens em alta resolução e demasiado tamanho). O meu aplicativo eu enviei no último Port-A-Thon. Posso dizer que quebrei uma barreira e estou com várias idéias para este ano, com o lançamento da nova plataforma BB10, dos novos aparelhos Z10 e Q10 e ótimos comentários do mercado sobre o lançamento, 2013 promete. VPC! [Vamos Pra Cima!]

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.