Categorias
Vagas Web

Vaga Front-End – Recife

MGR Soluções procura de desenvolvedores com experiência em HTML/CSS e principalmente com JavaScript (e prática com jQuery). Para ajudar no desenvolvimento de um grande sistema.

Ambiente de trabalho é de altíssimo nível.
Regime de contrato via CLT, 8h por dia.
Ter experiência de trabalho com Mac OS é um diferencial.

Interessados, favor enviar o curriculo para o e-mail: luiztiago@gmail.com.

Categorias
Vagas Web

Vaga para PROGRAMADOR Back-End

A Plano4 Consultoria Web está com vaga aberta para PROGRAMADOR.

Conhecimentos necessários:

– PHP
– ASP
– ASP.NET
– MySQL
– SQL Server

Envie seu currículo para planejando@plano4.com.br
Mais informações no telefone (81) 3031.1934

Categorias
Tutoriais Web

Introdução a Canvas (HTML5)

Depois de muito tempo longe de javascript, eu voltei a estudar-lo, tudo por conta da do tão temido html5. Comecei a fazer experimentos com ajuda de meu colega Leo(@leonardomarciel) com canvas. Iniciei no basicão, algo inicialmente trabalhoso criar os elementos do zero via código e acabei descobrindo um framework bastante legal depois de algumas pesquisas.

Canvas é uma tag que permite desenhar gráficos bitmap através da linguagem javascript, canvas faz parte das novas especificações do HTML (HTML5) mais informações aqui :

http://www.whatwg.org/specs/web-apps/current-work/

O melhores browser do mercado Chome, Firefox, Opera e Safari dão suporte a canvas.
O pior browser do mercado Internet Explorer NÃO dá suporte, ou seja se está usando ie não verá nada de canvas.

Para utilizar o elemento canvas fazemos da seguinte forma :


Onde passamos o id do canvas para futuramente fazer referência como um elemento html normal e as propriedades largura e altura, se essas propriedades de largura e altura não forem definidas elas assumem os valores 300 px de largura por 150 px de altura. Também podemos definir a largura e altura por CSS mas corremos o risco de distorcer a imagem gerada pelo canvas.

Como a tag canvas é uma novidade do HTML ela não tem suporte nos browser mais antigos como o firefox 1.0 e internet explorer. Para fazer o tratamento nesse caso incluimos dentro da tag canvas o nosso conteúdo alternativo. No momento que o browser não der suporte ele irá ignorar a tag e ler o conteúdo seguinte.


Esse texto dentro da tag vai aparecer se o browser não der suporte, dentro da tag também podemos colocar imagens como conteúdo alternativo ou até um elemento .

Até agora só falei do elemento canvas não fiz nenhuma edição em nossa tag, mas agora vamos começar a editar nosso canvas, o elemento tem dois tipos de renderização 2D e 3D, ou como é chamado contexto de renderização. Nesse tutorial vamos trabalhar com o 2D.

Para acessar o contexto de renderização utilizamos o método getContext(), e passamos como parâmetro o tipo do contexto “2d” ou “3d”. O uso desse método é feito da seguinte forma:

function init(){
	//acessando nosso elemento canvas
	var canvas = document.getElementById("meucanvas");
	//definindo o contexto
	var ctx = canvas.getContext("2d");		
}

Para fazer um tratamento exibindo um alerta para o usuário caso o browser não tenha suporte a canvas fazemos da seguinte forma:

function init(){
	var canvas = document.getElementById("meucanvas");
	if(canvas.getContext){
		var ctx = canvas.getContext('2d');	
	}else{
		window.alert("desculpe seu browser não tem suporte a canvas, por favor instale um navegador descente.");
	}
}

Agora que temos o todo o tratamento para o canvas vamos criar um forma primitiva. Anteriormente só tinha exibido trechos do meu código HTML, dessa vez vou mostrar como o todo o esquema ficaria.


	
	
	
	
	
	

Na linha que passo o preenchimento “fillStyle” posso passar outro mais um parâmetro na chamada da função “rgba(200,0,0,0.5)” onde eu passo as três cores dos padrão rgb e opacidade do elemento(alpha). Outra opção é passar um código hexadecimal como parâmetro na função fillStyle, por exemplo fillStylle(“#00CC00”). Nesse tutorial vamos parando por aqui, deixo aqui o link do demo do tutorial : http://jsdo.it/Fellyph.Cintra/4f12

Categorias
Flash Portfólio Web

Jobs 2009/2010

depois de milhões de anos decidi atualizar meu portfólio, mostrando alguns trabalhos que acabaram de sair do forno e outros que foram realizados ano passado você confere clicando na imagem:

Categorias
Web WordPress

Permissões de pastas e arquivos no WordPress

Para quem não conhece controle de permissões, ele especifica quem pode: ler, escrever, modificar e acessar os arquivos em seu site. Essas permissões são divididas em tipos de usuário User(owner), Group e Public(world). Funciona da seguinte forma, os números 777, 666, 755, 604 representam a permissão de cada tipo de usuário, o primeiro digito da esquerda pra direita é referente a permissão do Owner, o segundo digito do Group e o último do Public.

Como podemos ver na imagem abaixo:

Onde esse número de cada grupo é o somatório de três valores

  • r – read – permissão de leitura que tem valor 4
  • w – write – permissão de escrita que tem valor 2
  • x – execute – permissão para executar o arquivo tem valor 1

Então se um grupo tem valor 7(4+2+1 ou r+w+x) ele tem permissão de ler, escrever e executar o arquivo

A maioria dos servidores quando você faz a instalação manual do WordPress precisa alterar as permissões das pastas. Tudo sobre permissões você encontrará aqui: http://codex.wordpress.org/Changing_File_Permissions.

Mas você não está com coragem suficiente para ler tudo no link acima, então aqui vai um resumo:

NUNCA usar permissão 777 pode dar certo mas você pode ter problemas futuramente. Aumenta a chance de ocorrer bugs nas atualizações de plugins e referente a segurança você pode pode ter problemas como roubo de arquivos e ainda possibilidade de você perder seu blog.

WordPress codex : The worst that can happen as a result of using 777 permissions on a folder or even a file, is that if a malicious cracker or entity is able to upload a devious file or modify a current file to execute code, they will have complete control over your blog, including having your database information and password.

Em regra:

  • /wp-content/ , /wp-admin/, /wp-include/ deve atribuir permissões 755 para tal e suas subpastas
  • wp-config.php – modificar permissão para 644
  • .htaccess – 644
  • php.ini – 644
  • php.cgi – 755
  • php5.cgi – 755

Para editar valores de permissão no ftp, no meu exemplo eu vou utilizar o filezilla, selecione o arquivo ou pasta e clique com o direito, como na imagem abaixo:

Quando selecionar o opção para editar a permissão irá mostrar a seguinte tela :

Nessa tela tem a possibilidade de você aplicar a alteração de permissões as subpastas e seus arquivos.

Obs.: Se sua hospedagem é Locaweb “Boa Sorte”(brincadeira). Se for Locaweb o ideal é alterar a permissão no painel de controle da Locaweb mas garantido da permissões dos arquivos serem realmente alteradas.